O Programa Amigos da Onça, do Instituto Pró-Carnívoros, coordenou e realizou, com a ajuda de parceiros, um resgate inédito no Brasil! No dia 1º de maio de 2019, a equipe resgatou uma onça-pintada fêmea que estava encurralada em uma caverna, na região do Boqueirão da Onça, interior da Bahia. O Onçafari doou o colar GPS que foi instalado no animal para monitoramento.

O animal foi retirado do local, obteve todos os cuidados necessários e hoje vive livremente em seu habitat. A emocionante história foi registrada e virou um curta-metragem, que revela os bastidores da ação dos conservacionistas no bioma.

 

O RESGATE 

No começo do ano, a bióloga Claudia Bueno de Campos, que trabalha com a conservação de onças-pardas e onças-pintadas na Caatinga, foi procurada por residentes da região de Boqueirão da Onça. A mensagem dizia que uma onça estava presa em uma caverna e, para resgatá-la, precisariam da ajuda de um profissional. Os moradores já haviam tentado resolver a situação, mas sem sucesso. 

Trecho do curta-metragem “A última onça da Caatinga?”

Ao chegar no local, a bióloga foi surpreendida por um ambiente com grau de dificuldade muito maior do que imaginava. Além dos desafios de locomoção dentro do espaço, que era bastante estreito, ainda havia dezenas de colmeias de abelhas e a incerteza sobre o status da onça, ou seja, não sabiam se realmente tinha um felino, se estava vivo ou morto. 

Após estudar o local e traçar uma boa estratégia, a equipe chegou preparada para o momento do resgate. Utilizou uma caixa grande para conseguir retirá-la da caverna e transportá-la até a Universidade Federal do Vale do São Francisco. 

Trecho do curta-metragem “A última onça da Caatinga?”

Por ter ficado presa durante 22 dias, a onça-pintada estava desidratada, desnutrida e precisava de ajuda para sobreviver. Depois de um mês e meio sob cuidados de profissionais do Programa Amigos da Onça e do Cemafauna/Univasf, em Petrolina, o animal, apelidada de Luísa, se recuperou e ficou saudável o suficiente para retornar ao seu habitat.

Trecho do curta-metragem “A última onça da Caatinga?”

 

DE VOLTA À CAATINGA 

Após a realização de todos os exames para checar e garantir a saúde de Luísa, a equipe preparou-se para levá-la até o local de soltura. 

Trecho do curta-metragem “A última onça da Caatinga?”

Por tratar-se de um animal selvagem, não habituado à presença de veículos e/ou seres humanos, a primeira reação da onça-pintada foi atacar os carros. Ela estava em um momento de estresse, sem entender exatamente o que estava acontecendo, portanto, sua primeira reação, assim como o previsto, foi de defesa. 

Passado o primeiro “susto”, a onça seguiu seu caminho Caatinga adentro. Por meio dos equipamentos de monitoramento, a equipe se certificou de que ela realmente havia voltado para a sua área natural e, com isso, garantiu o sucesso da operação. 

A onça-pintada segue sendo monitorada pela equipe do Amigos da Onça. Com as informações coletadas pelo rádio-colar, os profissionais adquirem maior conhecimento sobre o animal, sobre o bioma e conseguem atuar com mais efetividade da conservação de ambos. 

 

Parabéns pelo incrível trabalho do Instituto Pró-Carnívoros! Se você quiser conhecer essa história com mais detalhes, acesse o link e assista ao curta-metragem

Envie sua mensagem