Nosso Trabalho

Reintrodução

Monitoramento, reabilitação e reintrodução de espécies ameaçadas.

foto: Adriano Gambarini

Os processos de reabilitação e reintrodução são ferramentas importantes para a conservação e recuperação de populações de espécies ameaçadas de extinção e, hoje em dia, contamos com três Centros de Reintrodução de Animais Silvestres (Reserva Santa Sofia e Caiman Pantanal (Pantanal) e Pousada Thaimaçu (Amazônia), totalizando sete recintos de reintrodução.

Isa e Fera

O primeiro caso bem-sucedido foi o das irmãs Isa e Fera , onças-pintadas que perderam a mãe ainda filhotes e foram reintroduzidas no Pantanal. Depois de uma cuidadosa adaptação, elas não necessitaram de suporte quando devolvidas à natureza: integraram-se à população de onças-pintadas da região e vivem normalmente em seu habitat. O sucesso deste projeto se confirmou em 2018, com o nascimento de seus filhotes em vida livre.

Pandora e Vivara

Em meados de Setembro de 2016, o Onçafari em parceria com o NEX (Brasília) recebeu duas irmãs da espécie onça-pintada com apenas poucos dias de vida. Foram acolhidas pela equipe do NEX até junho de 2018, quando foram transferidas com o auxílio da Força Aérea Brasileira (FAB) para o recinto de reintrodução do Onçafari na Amazônia, localizado na Pousada Thaimaçu. Nesse recinto de aproximadamente 15.000m², as duas irmãs passaram pelos mesmos processos que Isa e Fera no Pantanal. Após 12 meses de muita observação comportamental e treinamento para a caça, Vivara e Pandora foram soltas na Reserva do Cachimbo, área extremamente preservada pertencente à FAB. Atualmente as duas irmãs seguem bem, adaptadas a nova região, monitoradas através de seus colares de GPS e por armadilhamento fotográfico.

Principais passos para a reintrodução

Avaliamos a saúde e o comportamento dos animais e checamos se há condição de reintroduzi-los com sucesso à vida selvagem.
Os animais são inseridos em uma área de semi-cativeiro, com as mesmas características do habitat natural, para que possam aprender a caçar e interagir com o ambiente como qualquer animal selvagem. Trata-se de um espaço onde podem ser observados e avaliados pelos coordenadores do projeto.
Se considerados aptos a serem reintroduzidos na natureza, os animais são equipados com radiocolares dotados de GPS para o monitoramento após a soltura e reintroduzidos no habitat natural.
Monitoramos as onças-pintadas e onças-pardas para avaliar se estão conseguindo lidar com os desafios na natureza e, se necessário, resgatá-las novamente.
Galeria de imagens