No primeiro olhar, principalmente para pessoas leigas, as onças-pintadas (Panthera onca) de diferentes regiões podem parecer iguais. Mas, você sabia que dependendo do seu habitat, elas podem criar características distintas? Isso mesmo! O felino que vive no Pantanal, por exemplo, tem tamanho e habilidades diferentes do felino nascido e criado na Amazônia. 

Alguns fatores como o tipo de vegetação, a fauna local (presas disponíveis) e recursos hídricos, por exemplo, podem influenciar no desenvolvimento físico e comportamental dos animais. 

A onça-pintada é o maior felino das Américas! (Foto: Onçafari)

No texto abaixo, você aprende como diferenciá-las. Dá só uma olhada: 

 

Características Gerais 

Algumas características sutis as diferenciam, mas por serem da mesma espécie, a maioria dos traços físicos e comportamentos são bastantes semelhantes. 

Onças-pintadas são estritamente carnívoras, mantendo uma dieta apenas de carne. Até 80 espécies podem fazer parte de seu cardápio! São os maiores felinos das Américas e estão no topo da cadeia alimentar. Possuem a mandíbula muito forte, capaz de perfurar facilmente a carapaça de uma tartaruga. Seu canino pode chegar a até 5 cm de comprimento!

A onça é o único felino das Américas capaz de rugir, graças ao osso hióide que não é completamente ossificado, dando maior capacidade de vibração. Isso lhe permite emitir um som grave conhecido como esturro. 

Elas se adaptam a diversos tipos de ecossistemas. Podem ocorrer em áreas de floresta fechada, campos abertos ou regiões áridas e semidesérticas, apesar de preferirem áreas úmidas, com corpos d’água. 

 

Onças de florestas abertas: Pantanal

Apesar de haver um padrão geral de peso e tamanho corpóreo para machos, em torno de 10 a 25% maiores que as fêmeas (apesar de havermos apurado que aqui no Refúgio Ecológico Caiman, as fêmeas são em média 36,5% menores do que os machos), a média de peso nos felinos do Pantanal costuma ser maior que os animais de outros cantos do Brasil. Estudos mostram que ambientes abertos, sem a predominância de florestas densas, provocam uma tendência de animais maiores, como é o caso do Pantanal. 

Além da ampla disponibilidade de presas e itens alimentares, os animais ganharam, com o passar do tempo, estrutura física compatível à vantagem adaptativa para a caça neste tipo de ambiente. 

Brutus, um dos machos monitorados por nós no Pantanal. (Foto: Edu Fragoso)

Um macho adulto pantaneiro pode medir por volta de 2,60 m e pesar 148 kg (maior peso já registado).

 

Onças de florestas densas: Amazônia e Mata Atlântica

A Amazônia e Mata Atlântica possuem vegetação bastante densa, ou seja, são repletos de árvores e plantas típicas emaranhadas, as famosas “matas fechadas”. Por conta disso, as onças são menores, mais esguias e ágeis, facilitando a movimentação dentro das florestas.

Nestes casos, os machos dificilmente ultrapassam a marca de 80 kg e as fêmeas, 50 kg. O que se sugere, é que o tamanho corpóreo acaba refletindo a alimentação obtida em cada área em termos de biomassa consumida. 

Uma das oncinhas monitoradas por nós na Amazônia. (Foto: Adriano Gambarini)

Onças de zonas áridas: Caatinga

Apesar da Caatinga possuir ambientes menos florestados e densos, as onças-pintadas são menores por causa da baixa disponibilidade e biomassa de presas, não ultrapassando os 50 kg. A presença de indivíduos de grande porte nesse bioma também pode ser limitada pela escassez de habitats mais favoráveis e com abundância de outros recursos fundamentais, como a água. 

O tamanho e peso das onças-pintadas dizem muito sobre sua forma de vida. Os felinos que vivem em mata fechada e dependem de sua destreza para caçar, não podem ser muito grandes e pesarem muito, pois precisam andar no folhiço seco da serapilheira sem fazer barulho algum. Precisam andar como se não pisassem no chão. Precisam de um corpo leve e pequeno para andar entre os galhos e troncos caídos. Só assim terão sucesso em suas caçadas. Ser menor é uma vantagem e tanto para os animais residentes destes biomas. 

No fim das contas, podemos perceber com clareza a Teoria da Evolução, desenvolvida por Charles Darwin. As onças-pintadas foram, ao longo de muitos anos, adaptando-se aos ambientes nos quais estão inseridas. Para isso, desenvolveram características distintas, capazes de garantir a sobrevivência dos predadores nas diferentes regiões. A natureza não é fascinante? 

Fonte: Livro Panthera Onca. À Sombra das Florestas (Adriano Gambarini, Laís Duarte, Mario Haberfeld & Rogério Cunha de Paula). 

 

Envie sua mensagem