O que vem em sua mente quando pensa em safári? Aposto que a palavra “África” deve ter brotado. Há décadas, países africanos são considerados os melhores lugares para safáris do mundo. Lá, é possível ver animais selvagens em seu habitat natural, de perto, tudo de dentro do carro. Esse sucesso todo é devido à anos de desenvolvimento do ecoturismo na região, à infraestrutura criada pelos países que desenvolvem safáris, mas principalmente graças à habituação.

Turistas observando a onça-pintada. (Foto: Eduardo Fragoso)

O QUE É HABITUAÇÃO?

No dicionário, a palavra “habituar” significa: acostumar-se a algo. E é exatamente essa a proposta na técnica utilizada por guias de turismo na África, fazer com que os animais não se sintam ameaçados com a presença de carros de safári e continuem agindo normalmente em sua presença.

Esperança, uma das onças monitoradas pelo Onçafari - Foto: Adam Bannister

Esperança, uma das onças monitoradas pelo Onçafari, agindo normalmente com seu filhote na presença de um carro de safári – Foto: Adam Bannister

A HABITUAÇÃO NO BRASIL 

Nós “importamos” essa técnica de lá e adaptamos ao Brasil, com as onças-pintadas. Através dessa técnica, é possível tornar os avistamentos de onças-pintadas por turistas mais duradouros e frequentes, além de nos permitir observar comportamentos nunca antes vistos da espécie.

O ecoturismo tem ganhado força no Brasil. (Foto: Eduardo Fragoso)

HÁ ALGUMA INTERFERÊNCIA NEGATIVA NA VIDA DOS ANIMAIS? 

De acordo com Carlos Eduardo Fragoso, biólogo do Onçafari, a ideia da habituação é gerar uma interação neutra entre as onças ou lobos e os carros de passeio, onde não haja nem benefícios nem malefícios para o animal.

É importante frisar que habituação é completamente diferente de domesticação.

Domesticar significa amansar ou “educar” um animal, para que ele possa conviver junto ao ser humano. Na habituação o animal continua 100% selvagem, apenas passa a aceitar a presença do veículo sem fugir.

Comentários

  • […] A partir de determinado momento, um dos fazendeiros africanos parou de matar estes predadores e decidiu iniciar uma aproximação. Ao longo do tempo, os animais que viviam na propriedade dele já não eram mais caçados e, aos poucos, começaram a aceitar a presença dele junto de um veículo. Desta experiência, surge o movimento de habituação.  […]

Envie sua mensagem