Encontramos a carcaça de um boi nas primeiras horas do dia. Aparentemente sem nenhuma onça por perto, nos aproximamos da mata para investigar. Ficou muito claro que uma onça tinha enfincado seus dentes nas vértebras do boi. A onça pintada têm a mordida mais forte de todos os felinos, capaz de morder com uma pressão tremenda. Dizem que ela tem uma mordida duas vezes mais forte que a de um leão, e  a segunda mais forte de todos os mamíferos, mais fraca apenas que a da a hiena. Depois de investigar as feridas pudemos ver em primeira mão o poder notável destes gatos.

 

Tomamos notas, tiramos fotografias e colocamos uma armadilha fotográfica com infravermelho próxima a carcaça. Em primeiro lugar, queríamos ver se a onça voltaria para a carcaça fresca, e também saber qual onça tinha sido responsável por esta predação.

 

Voltamos tarde da noite para ver se teríamos um avistamento de qual era o gato em questão. Condições chuvosas, no entanto, fez nossa abordagem muito difícil e logo estávamos atolados na lama. Decidimos deixar a armadilha fotográfica fazer o seu trabalho. Voltamos no dia seguinte para recuperar o cartão de memória da armadilha fotográfica. A carcaça tinha sido um pouco comida e arrastada cerca de dois metros de distância. Novas pegadas de uma onça fêmea indicava que provavelmente ela tinha passado por ali algumas horas atrás.

 

As curtas sequências de vídeo captadas pela armadilha fotográfica contam uma história fascinante. No decorrer da noite, uma grande onça macho, conhecida pelo projeto como Fantasma surge da escuridão. Ele passa confiantemente pelo boi morto e demonstra pouco interesse pela carcaça fresca, ele  parece quase não perceber que ela estava ali!

 

Cerca de duas horas e meia mais tarde uma  onça fêmea conhecida como Esperança chega ao local. Ela arrasta a carcaça e se alimenta. Isso me leva a acreditar que foi essa fêmea que matou o boi. Ela pode ser identificada nos vídeos pela presença de um rádio colar. Este colar foi colocado em outubro de 2012 e nos permite usar a telemetria para nos mostrar sua posição, seu território e área de vida. O habitat que ela usa é tão difícil de navegar, que este colar nos permite uma olhadinha em sua vida secreta.

 

Abaixo você pode ver a sequência de vídeos capturado pela armadilha fotográfica. Note que a cerca em vista é uma cerca de gado e não impede os movimentos dos animais silvestres.

 

 

A razão pela qual o grande macho ignorou uma boa refeição, eu não sei e o fato de isso ter acontecido realmente me surpreende! Com toda minha experiência com grandes felinos em todo o mundo, eu nunca vi um gato não mostram interesse em carne fresca disponível. Eu já os vi farejar e decidir que a carne não era do seu agrado ou que estava muito velha. Também já vi gatos tentarem localizar uma carcaça pelo cheiro e por pouco não achar sua posição, mas eu nunca vi um gato simplesmente encontrar uma carcaça e não mostram nenhum interesse por ela … nem mesmo farejar ou por a pata nela!

 

Mais um ponto fascinante sobre o comportamento das onças pintadas a ser descoberto pela equipe do Projeto Onçafari, com base aqui no Refúgio Ecológico Caiman, no Pantanal. Adoraríamos ouvir seus comentários ou teorias a respeito de porque ele pode ter simplesmente passado pela carcaça sem demonstrar nenhum interesse.

Fantasma: the large male Jaguar - Diogo

Fotografia do Fantasma no Refúgio Ecológico Caiman (setembro de 2012) – Diogo Lucatelli

 

Escrito por: Adam Bannister
Fotos: Diogo Lucatelli
Armadilha Fotográfica: Projeto Onçafari

Comentários

  • Mariana disse:

    Provavelmente Fantasma sentiu o cheiro da onca Esperanca, e resolveu nao se intrometer nos assuntos dela… talvez ja estivesse de barriga cheia tambem…Talvez soubesse que a femea estava por perto e resolveu evitar uma briga desnecessaria, e mais interessante pra ele manter a femea que a carcaca rsrsrs

  • José Luiz Vianna de Grazia disse:

    Acredito que o único motivo que levaria o Fantasma a ignorar uma refeição fácil e fresca, sem a necessidade de gastar energia para isso, seria o fato de já estar bem alimentado, e estando ele bem alimentado, podemos pensar em duas hipóteses: Ou ele já havia predado outra presa que o satisfez, ou a carcaça fresca em questão teria sido abatida por ele, a segunda hipótese explicaria o fato de não ter demonstrado sequer curiosidade pela presa (pois já sabia do que se tratava inclusive teria se alimentado dela), e explicaria também o fato da Esperança ter se alimentado dela e tê-la arrastado ( ainda não havia se alimentado e ainda tentou tirá-la dali para voltar a comer mais tarde).

  • André Marques disse:

    O Fantasma devia estar muito bem alimentado. Olha a cara de satisfação e o tamanho da barriga dele.

  • nayda disse:

    incrivel estoria e como não sou biologa…acho que a onça macho viu que a senhora onça tinha chegado primeiro e respeitou o apetite da senhora onça …desculpe a brincadeira ….. mas fora isto a materia esta fantastica

  • Rafael C disse:

    Posso estar errado, mas pelo que entendo de felinos, as onças pardas tem o costume de “esconder” carcaças para poder se alimentar depois, e mesmo que outro felino a encontre, ele não vai comer, pois não foi ele que caçou, também já vi um documentário que os gueopardos não se alimentavam de “comida dos outros”. No caso das onças pintadas, tenho a impressão que elas não são totalmente solitárias, vivem sozinhas mas toleram presença de outras onças no mesmo territorio, desde que haja fartura de presas, então, neste caso, acho que o fantasma não se interessou pelo boi porque estava de barriga cheia, além de não ter caçado. Mas aposto que se estivesse passando fome, ele não só comeria a carcaça e não deixaria ninguém se aproximar até que sobrasse só os ossos do bovino.

  • Monika disse:

    Ele é um cavalheiro…e já devia ter jantado

Envie sua mensagem